sábado, março 05, 2005

Sócrates - 1 Comunicação Social - 0

Foi bonito de ver: os repórteres em Belém, preparados para as perguntas encomendadas pelos chefes, e o primeiro-ministro indigitado a dizer que, naquele momento, as redacções estavam a receber um comunicado do seu gabinete com a indicação do governo acabado de apresentar ao Presidente da República.
E os chefes resfastelados em restaurantes de cinco (mais duas ) estrelas...
São as máquinas, estúpidos...os faxes e os e-mails. Daaa... sabem o que é isso?
Sócrates - 1 - Comunicação Social - 0
É uma vitória importante, se ela significar o início de uma relação de respeito mútuo. Talvez o exemplo do "Público", que publicou um novo livro de estilo ( mesmo assim cheio de hesitações e alçapões propícios a interpretações dúbias), possa florescer.
Quanto ao governo, há que esperar pelos actos, apesar do Carlos Magno já ter ditado a sua sentença de condenação, a executar à esquerda e à direita. (oh! Carlos, porque não te reformas e inventas um blog para avaliares a tua audiência. Chama-lhe "Carlos Magno, o arguto")
Duas notas: o aplauso ao reconhecimento da actuação de Freitas do Amaral, quer como um membro fundador da democracia portuguesa, quer como um português notável pelo contributo que deu à comunidade internacional, como presidente da Assembleia Geral da ONU.
A outra diz respeito ao ministro da saúde: a sua reputação entre os profissionais dedicados à causa da saúde pública não é a melhor. Pelo contrário, é muito conotado com os grandes lobies. Aceito e desejo veementemente que os desminta.
Quanto a António Vitorino, o nome da grande especulação: ele - e a mulher - sempre disse que não queria voltar a ser ministro. Fazer o quê?

2 comentários:

Pandora disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Pandora disse...

Resta saber se Sócrates vai continuar a ganhar as batalhas travadas contra a Comunicação Social, já que os repórteres gostam muito de ser tratados como uma boa amante, e não apenas como uma noiva por correspondência.