segunda-feira, março 07, 2005

A DIFICIL ARTE DE VIVER

Não é por questão de sobrevivência, mas de bem estar. De facto ninguém escreve ao coronel. E eu preciso. E preciso, sobretudo, que me escrevam, não para me dar ares, mas para as loas que me são devidas. Pensem na tinta que se gastou com o Lopes, ainda por cima era lagarto! Imaginem o que ainda vão sofrer com os novíssimos, porque Deus é assim! Seria bem mais simples e reflectivo assumirem o Rafael como iluminado. Fazia-lhe jeito. Não que ele seja ecuménico ou possuído pelo demónio, coitado, nada disso: é vaidoso, tem a mania.
Farão o favor de aceitar que não é caso único, se fosse não havia tanto blog.
A vaidade do coronel Soares ainda vá que não vá, mas a preguiça dos que vão que não vão tem menos desculpa. É preciso saber assumir, tanto quanto é preciso que cada qual se saiba sumir.É preciso e urgente gabar o coronel e, depois sim, depois fugir, como se fugiu nos séculos dezoito e dezanove para o Brasil, e depois disso para a França mal refeita da ira nazi.
E se a previsão metereológica é má, se falar de catástrofes e outras formas cíclicas de governação socialista, pós-moderna, fujam que estão perdoados, mas não sem escrever ao Rafael, como quem pede a extrema unção, porque dele vai ser - é seguro -, o reino dos céus.
Mas se o não fizerem, ao menos não deixem este cantinho à mingua de paleio.
Que o altíssimo vos guarde...

2 comentários:

Pandora disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Pandora disse...

Caro Comandante Rafael...
Escrevo, já que tanto insiste, para fazer uma sugestão. Por vezes uma leitura rápida, após uma escrita pensada e, quiçá, também rápida, permite esbarrar em alguns precalços que serão, com toda a certeza, pura distracção.
Se precisar de uma ajudinha, não hesite. Estamos cá para ajudar.
Com os melhores cumprimentos.