quinta-feira, junho 30, 2005

QUE NINGUEM BRINQUE COM COISAS SÉRIAS

O referendo sobre o aborto anunciado pelo senhor primeiro-ministro teve todo o ar de pílula do dia seguinte, talvez mais do que opção rectificativa. Quem não toma cuidado e não se precavê acaba por meter-se em trabalhos. A minha madrinha matava-se a avisar a sobrinha para ter juizo. Mas qual quê, a fulaninha gastava-se à fartazana e fartou-se e quando despertou era a crise. Tudo se resolveu pela calada. Com a prima foi pior, teve mesmo de ir a Badajoz, porque em Badajoz é mais barato. Se pudesse esperar mais umas semanitas podia ter ido a uma clínica das avenidas, que o dr. Correia de Campos pagava e ficava com a crise para ele.
Acho que sim. Acho que é melhor deixar o dr. Correia de Campos ir apagando as crises, pagando. Pelo menos até as presidenciais passarem. Não misturem alhos com bugalhos. Estão a ver um referendo sobre o aborto misturado com eleições presidenciais? Imaginem o que pode sair daquilo? No melhor, vai vai dar um presidente arrancado a ferros e um outro nado-morto...
Tenham cuidado. Não brinquem com coisas sérias, que só façam rir. Ele há coisas sérias que devem ser levadas a sério, muito a sério.
E o aborto (referendo sobre) é uma delas...

2 comentários:

LS disse...

Cedendo ao trocadilho fácil, ao nariz de cera (a esta hora depois de um dia de arrasar, não há muita verve disponível) sempre diria que esta ideia, ela sim, constitui um aborto que não merece referendo!
Garotadas!!
Um abraço

pindérico disse...

"Vamos lá a ver como é que desenrascamos isto". Se calhar ainda é assim que se trabalha em certos meios!!!