sábado, março 10, 2007

Ei-lo, o D. Sebastião

De implantes no cabelo, com dentes novos, um novo estilo no andar, provavelmente com novos amores, ei-lo que volta numa noite de nevoeiro a anunciar a manhã da esperança, quando ele, montado num carro novo, comprado por ele - já não pela Universidade Moderna (para que se compraram, afinal os submarinos e tantas outras coisas?) - voltar ao Largo do Caldas para daí dirigir já não a direita pura e dura, mas o centro direita.
Sim, porque um homem como ele não se nega, não pode ficar indiferente à ruina da direita, do centro direita e até da esquerda. Ele não quer saber de ruínas, nãos as tolera e, por isso, vai voltar. Com directas "Já", tal como o Tancredo Neves em 1983, no Brasil.
D. Sebastião ( o do centro-direita) está de volta e ao ataque. Eo pior de tudo é que todas as perguntas que havia para lhe fazer, nunca ninguém as fez. Será que este D. Sebastião gastou todo aquele dinheiro em cavalos para nos defender dos mouros?

1 comentário:

Túlio Hostílio disse...

Vamos rezar para que este D. Sebastião, nunca chegue a sair do meio do nevoeiro....